Artigos

Não Deixe Levarem Até Seu Cachorro Quente!

nao-deixem-levarem-ate-seu-cachorro

                                                                                                                                                      *Prof. Antomar Marins 

O que mais se lê hoje nos jornais e nos comerciais é que o Brasil está atravessando uma grande crise. Mas o que podemos fazer para melhorar ou sair desta situação? Afinal, isto não deve ser somente do governo, depende também das nossas atitudes.
Pensando em tudo isto me lembrei de um anúncio da Quaker States Metais Co., intitulado “Não deixe que lhe tirem até o seu cachorro quente”, publicado em fevereiro de 1958 e divulgado pela agência ELLCE, de São Paulo, em novembro de 1990. Diz o anúncio:
Um homem vivia na beira da estrada e vendia cachorros-quentes. Não tinha rádio e, por deficiência de vista, não podia ler jornais, mas, em compensação, vendia bons cachorros-quentes.
Colocou um cartaz na beira da estrada, anunciando a mercadoria, e ficou por ali, gritando quando alguém passava:
– Olha o cachorro-quente especial!!!!
E as pessoas compravam. Com isso, aumentou os pedidos de pão, salsichas, e acabou construindo uma mercearia. Então, mandou buscar o filho, que estudava na Universidade, para ajuda-lo a tocar o negócio, e alguma coisa aconteceu. O filho veio e disse:
– Papai, o senhor não tem ouvido rádio? Nem tem lido jornais? Há uma crise muito séria, e a situação internacional é perigosíssima!
Diante disso, o pai pensou:
¬– Meu filho estudou na Universidade! Ouve rádio e lê jornais, portanto, deve saber o que está dizendo!
Então reduziu os pedidos de pão e salsichas, tirou o cartaz da beira da estrada, e não ficou por ali, apregoando os seus cachorros quentes. As vendas caíram do dia para noite, e ele disse ao filho, convencido:
– Você tinha razão, meu filho, a crise é muito séria!
E você o que tem feito para sair da sua crise?

Professor, Consultor de Melhoria de Negócios e Autor

Sobre o autor

Redação Redação

Comentar

Clique aqui para deixar um comentário